Português    Español    English

Estaca Helice Continua

Equipamento monitorado de pequeno porte

A estaca helice continua é moldada in loco com um trado em espiral, que é introduzido no solo com um tubo central vazado por onde é bombeado o concreto.

Essa estaca pode ser executada em terrenos coesivos e arenosos, principalmente em terrenos abaixo do lençol freático (terrenos que contêm água).

Técnica Executiva da estaca hélice contínua

Na realização de fundação do tipo estaca Hélice Contínua monitorada de pequeno porte, destacam-se três etapas distintas do processo da técnica executiva, que são:


 
PERFURAÇÃO

A estaca hélice contínua monitorada é perfurada com um trado no formato de espiral, sendo introduzido no solo por rotação. As espirais do trado são preenchidas com o solo e, na parte inferior desse trado, existem facas para facilitar o corte de terrenos com alta resistência, podendo atravessar camadas de solo de 30 a 60 *SPT dependendo do tipo de material.

Exemplo tipo de Solo: Silte, argila, areia e etc.

São perfuradas até atingir a profundidade exigida no projeto, além de ter alta produtividade de 250 a 600 metros por dia, dependendo do diâmetro da hélice, da profundidade da fundação da estaca e do tipo de terreno.

Estaca Helice Continua
 
CONCRETAGEM

Ao finalizar a perfuração, damos início à concretagem da estaca. No trado espiral existe um tubo central vazado por onde é bombeado o concreto e, conforme o trado é extraído do solo, simultaneamente é preenchido com concreto bombeado sob pressão (sendo controlada pelo operador da Perfuratriz), para não ocorrer falhas ou bolhas no *fuste.

Utilizando um concreto que segue as especificações da Norma da ABNT NBR 6122:2019 (Item N.9) sendo:

- Consumo de cimento não inferior a 400 kg/m³;
- Abatimento ou *slump test entre 22 a 26, conforme ABNT NBR 6122:2019 (Item N.9);
- Fator água/cimento ≤ 0,6;
- Agregado: areia e pedrisco (Brita 0);
- % de argamassa em massa ≥ 55%;
- Traço tipo bombeado;
- *Fck ≥ 30 *MPa aos 28 dias, conforme ABNT NBR 6118, ABNT NBR 5738 e ABNT NBR 5739;

 
ARMADURA

Após o fim da concretagem é colocada a armação em forma de gaiola, sendo introduzida manualmente na estaca ou com o auxílio de uma máquina.

As gaiolas longas devem ser construídas com barras grossas e estribo com espiral, enquanto que as pontas devem ser afuniladas para não enroscarem na parede da estaca concretada (evitando o contato da estrutura de aço com o solo).



Legendas Técnicas:

*SPT - Sondagem à Percussão
*FUSTE - Base da Estaca
*FCK - Resistência Característica do Concreto à Compressão
*MPa - Megapascal é uma unidade de medida de pressão (Força dividida por área)

 
 

Vantagens da Helice Continua de Pequeno Porte



- Baixo nível de ruído e vibração

- Alta produtividade e capacidade de carga das estacas

- Grande poder de perfuração do solo

- Rapidez na execução da obra

- Limpeza no local da obra

- Baixo custo de mobilização

- Execução da perfuração em pequenos terrenos

- Acesso em áreas urbanas restritas

- Execução de estaca rente a construções existentes

- Cortina de contenção

 




Helice Continua e Tecnologia





Computador de monitoramento


As perfuratrizes de pequeno porte da Rei Hélice Contínua possuem computador de monitoramento, que gera dados precisos e em tempo real (via satélite) da perfuração e da concretagem da fundação.

A tela de monitoramento visualizada pelo operador é a mesma tela monitorada e supervisionada pelo setor de engenharia, oferecendo assim todo o suporte, controle e qualidade para as fundações das obras dos clientes.

O monitoramento é feito através de sensores eletrônicos, que alimentam o computador de monitoramento e são divididos em duas etapas:

Perfuração

Perfuração Estaca

A) TORQUE:
É responsável por aferir a força média da perfuração no solo em (*bars), que a máquina faz para cortar o terreno.

B) ROTAÇÃO:
Indica a velocidade que o trado gira em torno do seu próprio eixo (*rpm).

C) VELOCIDADE DA PERFURAÇÃO:
É a velocidade da perfuração/penetração no solo (*cm/s).


*BARS - Unidade de pressão
*RPM - Rotações por minuto
*(CM/S) – Centímetro por segundo
Concretagem

Concretagem da Rei

D) PRESSÃO DO CONCRETO:
Detecta a pressão do concreto que passa pelo tubo central da espiral do trado em *bars e auxilia o operador para que a pressão sempre esteja positiva, evitando falha na concretagem.

E) VELOCIDADE DE EXTRAÇÃO:
É o sensor que indica a velocidade da extração do trado no solo (*cm/s).

F) PERFIL DA ESTACA:
É a estimativa de como ficou o fuste.

G) INCLINAÇÃO:
Mostra a inclinação do posicionamento do trado, auxiliando o operador a moldar a estaca em prumo nos eixos "X" e "Y".

Com esse monitoramento, a Rei tem o controle total na execução das fundações, gerando mais segurança, economia, qualidade e confiabilidade nos serviços realizados.






Relatórios Gráficos


Com a qualidade e tecnologia que a Rei possui, sua preocupação se concentra no envio exclusivo de relatórios gráficos de monitoramento via e-mail para os seus clientes, engenheiros, arquitetos e todos os responsáveis envolvidos na obra.

Adicionalmente, são disponibilizados relatórios gráficos da fundação que contêm identificação com os detalhes da obra e de cada estaca escavada, como por exemplo:

Nome do cliente, data de execução, hora do início da perfuração, hora e início da concretagem, diâmetro executado, comprimento, número do contrato, volume do concreto, superconsumo e o gráfico da perfuração e concretagem.

Relatórios Graficos Fundação Rei
Clique aqui e assista aos vídeos de Monitoramento de Perfuração, Concretagem e os Relatórios Gráficos.
Solicite um orçamento
FAQ. Dúvidas frequentes
 



COMPARTILHE

Instagram Rei Helice Continua     Facebook Rei Helice Continua     Youtube Rei Helice Continua
IDIOMAS   Português    Español    English
Sede - Endereço: Rua Vereador Daniel Manara, 981   -   Cidade: Mogi Mirim - Estado: SP - Brasil
Rei Hélice Contínua © 2020. Todos os direitos reservados   |   Termos e Condições   |   Política de Privacidade   |   Desenvolvido por Lobe Tecnologia